Home
 
História da Arte
 
Artistas de Referência
 
As Nossas Obras
 
A sua opinião

Michelangelo Merisi da Caravaggio

(n.1571, f.1610)

 

Foi um artista italiano actuante em Roma, Nápoles, Malta e Sicília entre 1593 e 1610. Caravaggio é normalmente identificado como um artista Barroco, estilo do qual é o primeiro grande representante.

Mesmo em vida, Caravaggio era considerado enigmático, fascinante, e perigoso. Desde a sua entrada no palco da arte romana em 1600 nunca lhe faltaram apoios e seguidores, porém lidou com seu sucesso atrozmente. Em 1606, matou um jovem durante uma luta e fugiu de Roma com a cabeça a prémio. Em Malta, em 1608, envolveu-se em outra luta, e mais outra em Nápoles, em 1609, possivelmente um atentado premeditado contra a sua vida por inimigos nunca identificados. No ano seguinte, após uma carreira de pouco mais do que uma década, estava morto.

Caravaggio tomava emprestada a imagem de pessoas comuns das ruas de Roma para retratar Maria e os apóstolos. Talvez tenha sido um dos primeiros artistas a saber conciliar a arte com o ministério de Jesus que aconteceu exactamente entre pescadores, lavradores e prostitutas.

Caravaggio levou este princípio estético às últimas consequências, a ponto de ter sido acusado de usar o corpo de uma prostituta fisgada morta do rio Tibre para pintar a Morte da Virgem.

Esta foi uma das duas mais importantes características das suas pinturas: retratar o aspecto mundano dos eventos bíblicos usando o povo comum das ruas de Roma.

A outra característica marcante foi a dimensão e impacto realista que deu aos seus quadros ao usar um fundo sempre raso, obscuro, muitas vezes totalmente negro e agrupar a cena em primeiro plano com focos intensos de luz sobre os detalhes, geralmente os rostos. Este uso de sombras e luz é uma das coisas mais marcantes nos seus quadros que, de certa forma, nos atrai para dentro da cena, que nos faz viver a situação retratada. Os efeitos de iluminação que Caravaggio criou receberam um nome específico: tenebrismo.

No fim do Renascimento, os grandes mestres como Michelangelo Buonarroti caminhavam para uma visão mais obscura e realista das escrituras sagradas.

Curiosidade

 

No dia 10 de Novembro de 2006, um quadro do pintor foi encontrado na colecção da Rainha De Inglaterra, Elisabeth II, e autenticado depois de ser submetido a uma análise técnica de seis anos para ser considerado original. Até então era considerado uma cópia.

 

Obra

 

Baco (1593-1594) – Uffizi, Florença

• Tocador de Alaúde (1594) – Museu Hermitage, São Petersburgo

• Canastra de Fruta (1595) – Biblioteca Ambrosiana, Milão

• Repouso na Fuga para o Egipto (1595-1596) – Galeria Doria Pamphili, Roma

• A Ceia em Emmaus (1596) – National Gallery, Londres

• Invocação de São Mateus (1599-1600) – Igreja de São Luís dos Franceses, Roma

• A Prisão de Cristo (1602)

• São Mateus e o Anjo (c. 1602) – Igreja de São Luís dos Franceses, Roma

• Martírio de São Mateus (1599-1600) – Igreja de São Luís dos Franceses, Roma

• Crucificação de São Pedro (1600-1601) – Capela Cerasi, Igreja de Santa Maria del Popolo, Roma

• Conversão de São Paulo (1600-1601) – Capela Cerasi, Igreja de Santa Maria del Popolo, Roma

• Deposição (1602-1604) – Igreja Nova, actual Igreja de Santa Maria della Vallicella, Vaticano

• Nossa Senhora do Rosário (1607) – Museu de História da Arte, Viena

• Sete Obras de Misericórdia (1607) – Pio Monte della Misericordia, Nápoles

• Degolação de Baptista (1608) – Catedral da Valletta, Valletta, Malta

• Ressurreição de Lázaro (1608-1609) – Museu Nacional, Medina

topo

Copyright©Hugo e Marco, 2008

Criado em Março de 2008

Última actualização: 20.03.2008

hmtakaos@hotmail.com

marcoliveira1@sapo.pt

Caravaggio, pintura de Ottavio Leoni.

Caravaggio,

pintura de Ottavio Leoni.